AGU confirma no STJ que marca de fabricante de pneus perde proteção eterna

AGU confirma no STJ que marca de fabricante de pneus perde proteção eterna

AGU confirma no STJ que marca de fabricante de pneus perde proteção eterna

Comentários fechados em AGU confirma no STJ que marca de fabricante de pneus perde proteção eterna
 

AGU confirma no STJ decisão que negou proteção eterna à marca de fabricante de pneus.

A Advocacia-Geral da União (AGU) manteve, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), decisão administrativa do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) que negou à fabricante de pneus Goodyear o reconhecimento como “marca de alto renome” por prazo indeterminado. A classificação impede qualquer empresa, inclusive as que atuam em outros ramos de atividades comerciais que não o de pneus e produtos para veículos, de utilizar o nome Goodyear.

A empresa recorreu ao STJ após o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) também manter a decisão do INPI. A fabricante defendeu que a proteção especial está prevista na Lei nº 9.279/96 para marcas que têm elevado grau de reconhecimento pelos consumidores e pelo mercado, e que ela teria direito a não sofrer qualquer restrição temporal na classificação.

Contudo, o Departamento de Contencioso da Procuradoria-Geral Federal (Depcont/PGF), a Procuradoria-Regional Federal da 2ª Região (PRF2) e a Procuradoria Federal Especializada junto ao INPI (PFE/INPI) demonstraram que o reconhecimento judicial criaria um amparo eterno para o nome da fabricante, o que afrontaria a sistemática legal de marcas e patentes. De acordo com as unidades da AGU, o conceito do que seria uma “marca de renome” tem caráter transitório e depende das condições do mercado e da força de uma determinada empresa em um dado momento.

O STJ acatou pedido da AGU para julgar o pedido da empresa improcedente. A decisão observou que não cabe ao Judiciário reconhecer a característica especial de uma marca, pois o procedimento depende de avaliação técnica cuja competência legal para realizar é do INPI.

Ref.: Processo nº 1.207.026-2010/0143057-5 – STJ

O Depcont, a PRF2 e a PFE/INPI são unidades da Procuradoria-Geral Federal, órgão da AGU.

Rebeca Ligabue/Raphael Bruno

Publicado em 24/03/2015.

Fonte (Texo e Imagem): AGU

Related Posts

Back to Top